Tagged: Hayao Miyazaki

Studio Ghibli, vivo ou morto?

Durante o último final de semana, uma série de portais de comunicação e entretenimento noticiou o fechamento oficial do Studio Ghibli. O antigo estúdio de Hayao Miyazaki, supostamente, encerraria suas atividades após a fraca recepção de seu último filme, Omoide no Marnie. A fonte citada pelos veículos foi a entrevista de um dos cofundadores do estúdio, Toshio Suzuki, concedida ao programa Jonetsu Taririku, da TBS.

Ainda que durante sua declaração Suzuki tenha afirmado que o estúdio passa, sim, por um momento financeiro delicado, o diretor não confirmou um possível fechamento do estúdio. Na verdade, o que deve ocorrer nos próximos meses é uma reestruturação profunda em alguns setores da empresa.

Em seu atual formato, o Studio Ghibli apresenta uma estrutura de trabalho bastante onerosa, com um grande quadro de funcionários e muitos custos de produção. Segundo Suzuki, a ideia é desmantelar o estúdio central e redistribuir as funções em células menores, rotativas e menos custosas, um esquema similar ao que já é comumente praticado por outros estudios.

Por enquanto, é difícil especular qual será o resultado das mudanças e como elas afetarão o futuro do estúdio e de suas próximas produções, mas é possível apostar em grandes mudanças após a tímida estreia de seu último filme, que atingiu somente o 3° lugar em seu final de semana de estreia e recolheu pouco mais de 3 milhões de dólares, lembrando que em sua formatação atual o estúdio tem um custo aproximado de 20 milhões de dólares por ano.

Fique de olho na Henshin para saber tudo sobre o mundo das animações!

Frozen é a maior animação do Japão!

Frozen – Uma Aventura Congelante tomou de assalto as bilheterias no ano passado. O filme bateu recordes ao redor do globo e reafirmou a posição da gigante de orlando como líder no mercado de animações. Bem, a chegada dele às terras nipônicas não foi diferente.
A princesa Elsa e seus companheiros fizeram muito sucesso e atingiram a surpreendente marca de 12.65 milhões de espectadores, aproximadamente 15,9 bilhões de ienes em ingressos vendidos, cerca de 312 milhões de reais. A soma garante a posição de oitavo filme mais visto nos cinemas japoneses, além de superar títulos de peso como Avatar, com 15,5 bilhões de ienes – se tornando, também, o filme em 3D mais visto no país – e Armageddon, com 13,5 bilhões.

Com este feito, a animação da Disney consegue o título de longa-metragem animado com maior arrecadação japonesa, batendo o clássico de Hayao Miyazaki, Ponyo, e seus 15,5 bilhões de ienes.
Continue de olho na Henshin para saber tudo sobre, cinemas, animações e aventuras congelantes!

Trailer do live-action de “Serviço de Entregas de Kiki”

Kiki está chegando às telonas no Japão! A produção dirigida por Takashi Shimizu (mesmo diretor de O Grito, porque o Japão tem dessas coisas, mesmo) começa a ter seus primeiros trailers divulgados, e neles podemos ver Kiki voando por aí, conversando com o gato falante Jiji, e fazendo o que ela sabe de melhor: ser uma gracinha.

Confira abaixo os dois trailers divulgados até agora.

O filme adaptará os dois primeiros livros da série Majo no Takkyūbin, de Eiko Kadono, ou seja, não é adaptação do filme de Hayao Miyazaki.

Kiki (Fuka Koshiba) é uma bruxinha que, ao completar 13 anos de idade, deve passar um ano fora de casa para aprimorar suas técnicas de bruxaria. A história começa quando ela chega a uma cidade litorânea com seu gato Jiji (Minako Kotobuki) e começa a fazer amigos e aprender mais e mais sobre a vida.

O longa-metragem estreia em 1 de março, no Japão. Confira o pôster e tente segurar o inevitável “aaawwwwnnnnn”. Impossível resistir.

Aaawwwnnnn!! *o*
Aaawwwnnnn!! *o*

Japão Marca Presença no Oscar 2014

A lista de indicados para o Oscar 2014 foi liberada oficialmente ontem, 16 de janeiro. Entre os selecionados há duas animações japonesas: Vidas ao Vento, de Hayao Miyazaki, e Possessions, de Shuhei Morita. As obras foram indicadas, respectivamente, para melhor animação em longa e curta-metragem.

Ambos diretores ficaram muito satisfeitos com as indicações. Em declaração oficial, Miyazaki comenta:

“Eu considero uma enorme honra para o meu trabalho de aposentadoria, Vidas ao Vento, a indicação para o Oscar de Melhor Animação. Ser reconhecido internacionalmente é uma grande honra para todo o pessoal envolvido neste projeto. Do fundo do meu coração, agradeço à Academia pela indicação e a todos que o conduziram ao sucesso. Me trará imensa alegria se muitas pessoas nos EUA puderem assistir ao filme”.

O diretor responsável pelo curta também agradeceu a indicação em uma declaração ao portal de noticias americano Anime News Network:

“Isso é uma benção! Estamos muito felizes por “Possessions” ser indicado e ter a oportunidade de ser visto por muitas pessoas. Eu tenho me indagado nos últimos anos, “Qual o meu estilo de animação?”, mas “Possessions” é uma obra onde eu percebo que estou satisfeito comigo mesmo em ser capaz de colocar, honestamente, a minha alma e dedicação. Com uma equipe pequena, nós reunimos ideias de todos e criamos esse filme. Estamos muito felizes que um título como esse tenha aceitação global. Estamos um pouco nervosos, mas ansiosos para a cerimonia de premiação no dia 2 de março”.

O Japão não é um dos maiores frequentadores da premiação, mas o veterano Miyazaki já levou pra casa uma estatueta por seu longa animado A Viagem de Chihiro, em 2002. Neste ano, a disputa será difícil, já que a animação da Disney, Frozen – Uma Aventura Congelante, vem como franco favorito.

Princesa Mononoke retorna ao Japão

Desde seu lançamento em 1997, o longa animado Princesa Monnoke foi elevado ao status de clássico. Sucesso de público e crítica, o filme de Miyazaki ganhou o mundo e invadiu os cinemas ocidentais.

A repercussão desta obra foi tão grande que, há alguns anos, uma companhia de teatro inglesa fechou um acordo com o Studio Ghibli para adaptar a história de Mononoke aos palcos.

A peça ficou em cartaz na Inglaterra por mais de um ano e foi muito bem avaliada pela mídia especializada. Agora, o país de origem deste clássico cinematográfico terá a oportunidade de conhecer esta releitura.

A estreia da produção no Japão será no dia 29 de abril, em temporada curta, com término no dia 6 de maio. Segundo a produtora, pode haver mais apresentações, tudo depende da recepção do público.

Por enquanto, nada foi mencionado à respeito de apresentações em outros países.

Clique aqui e confira um trailer da peça.

Ghibli em dose dupla

O Studio Ghibli, do aclamado cineasta Hayao Miyazaki, trará ao publico duas obras em 2013. A dupla produção, que por si só já é surpreendente, se torna mais marcante pela presença do próprio Miyazaki como diretor de um dos projetos.
 
O diretor estava aposentado desde 2008, quando produziu Ponyo – Uma Amizade que Veio do Mar. O primeiro projeto é uma adaptação de seu mangá Kaze Tachinu, que acompanha a história de Jiro Horikoshi, o engenheiro responsável por projetar os aviões japoneses durante a segunda guerra mundial.
 
O segundo longa de 2013 será Kaguya-Hime no Monogatari, com direção de Isao Takahata, que já trabalhou para Ghibli no aclamado O Túmulo dos Vaga-Lumes. O novo filme de Takahata é baseado em um conto folclórico sobre um lenhador que encontra uma pequena princesa dentro de um bambu e a liberta de seu cárcere.
Por enquanto, o lançamento dos filmes está restrito ao Japão e não tem data de previsão para o ocidente.