Categoria: Live-Action

Top7 Especial: Volta às Aulas

Janeiro está acabando e para “comemorar” o final das férias escolares a galera da Redação JBC resolveu se reunir para reduzir um pequeno Top 7 para você. Desde já, seguimos com os avisos:

Aviso número 1, esta lista denominada de Top 7 não será, de maneira alguma, composta por 7(SETE) colocados em ordem de qualidade. O nome Top 7 será mantido exclusivamente para fins de tradição, porque esse é o nome que sempre o utilizamos e, principalmente, porque sim. Ou seja, o Top 7 de hoje não é top e não é 7, mas é bem legal.

Segundo, e último, aviso, alguns dos números da lista podem conter pequenos spoilers sobre as obras citadas, ou seja, se você quer se prevenir completamente da não-spoilerização, pule o item. Estamos combinados? Então vamos lá!

O tema desse Top 7 é simples: filmes com temática escolar. Vale de tudo: ação, comédia, drama… O importante é que a obra esteja, de alguma forma, ligada ao conceito escola. Perguntamos para cada um dos integrantes e todos, ou pelo menos uma boa parte deles, respondeu. “E aí, qual seu filme escolar favorito?”.

Cassius: Um dos meus filmes preferidos de escola é Curtindo a Vida Adoidado (Ferris Bueller`s Day Off). Ele simplesmente tem tudo o que um moleque (da década de 1980, mas de agora também) poderia querer. É um cara inteligente, com uma namorada bonita, que dá um jeito de matar aula para curtir o dia. Tem um diretor “malvado”, uma irmã chata, um amigo nerd, um carrão esporte, uma cena de música sensacional e ainda uma cena pós-créditos de deixar qualquer filme da Marvel com inveja. Ah, ainda dá pra lembrar daquela participação especial do Charlie Sheen, simplesmente hilária. Ei ei ei, Ferris Bueller é nosso rei!!!

Marcelo Rodrigues: Se é pra comentar sobre o meio escolar, um dos meus filmes preferidos com essa temática é a versão alemã do livro americano “A Onda“. “Die Welle” (2008) relata um experimento escolar em que o professor confronta a ideia dos alunos de que seria impossível os alemães voltarem a uma ditadura nos moldes da nazista. O professor passa então a ser cada vez mais rigoroso e a condicionar o grupo de jovens a agir como um grupo unido. Quando cumprimentos, uniformes e tarefas se tornam rotina para aquela turma, e a individualidade de cada um é substituída por uma mentalidade de massa, as coisas começam a fugir do controle.
Se no filme de 1981 já é estranho ver o que ocorre com esse tipo experimento em uma escola norte-americana, na versão alemã a coisa toma outra proporção, capaz de deixar aquela pulga atrás da orelha do quão longe estamos de poder surgir um outro império como o nazista.
Não se deixe assustar com a temática, “Die Welle” é um filmaço que merece ser assistido!

Douglas Rocha: Bill & Ted – Uma Aventura Fantástica. Quem nunca quis aquela mãozinha na hora da prova? E aquela cola marota que você passou a noite anterior preparando? Bom, nesse filme as coisas são ainda melhores que tudo isso! A dupla de incompetentes, Bill e Ted, tem uma prova de história logo logo e não sabe nada sobre a matéria. Sabendo que o destino da humanidade depende do resultado dessa prova, a galera do futuro da uma forcinha pros dois, enviando uma máquina do tempo pra que eles possam viajar pro passado e aprender com as próprias figuras históricas, como Napoleão e Sócrates, e, é óbvio, muita coisa dá errado. Classiquera de sessão da tarde!

Douglas Evangelista: Meu clássico é o Class act (Alunos muito loucos, no Brasil), um dos filmes que formaram meu caráter (risos). Cheguei a gravá-lo em VHS e o assistia loucamente. O filme é estrelado por uma dupla de cantores de hip-hop, Kid’n’play, então não poderia ser ruim. O plot é sobre 2 alunos de personalidade e intelecto opostos. Duncan Pinderhughes é o aluno inteligente que acaba trocando sua ficha com Blade Brown – que está sob liberdade condicional – em um pequeno acidente no primeiro dia de aula do último ano de estudo dos dois. As músicas são bons hip-hops dos anos 80 e um pouco dos 90, os melhores, que deixa o filme com um ar muito mais divertido. Chegou a ter uma continuação, mas bem chatinha.

Leo Kitsune: Meninas Malvadas. Pra começo de conversa, é inegavelmente um ótimo filme. Tudo bem que a trama é clichê: a velha história do “peixe-fora-d’água” tentando se encaixar em um ambiente hostil e se encantando pela possibilidade de ser “popular”, até perceber que isso não é assim tão importante. Mesmo assim, é um filme com ótimos momentos (a cena em que o refeitório é representado como um documentário do Discovery é uma das melhores), grandes atuações, além do roteiro inteligente de uma das melhores comediantes americanas da atualidade, Tina Fey. Fora o fato de que, de certa forma, abordar os dois lados; tanto dos alunos quanto da dificuldade por parte dos professores de lidar com eles.
Mas, acima de tudo: Lindsay Lohan. No auge. Antes da primeira prisão. Vestida de Mamãe Noel. Nada mal, hein?

Karin: Escola do Rock. Esse filme tem todos os estereótipos de uma sala de aula pronta para ser transformada pelo professor revolucionário. Não, não é Sociedade dos Poetas Mortos, nem Mudança de Hábito. O argumento do filme é o mesmo, mas dessa vez a revolução acontece pelo rock and roll, baby! Em Escola do Rock, Jack Black (que a propósito, me faz lembrar alguém da nossa redação ;D) interpreta um “professor” roqueiro que forma a sua própria banda na escola e ensina seus alunos a quebrar as regras.

Pedro: Tem muita coisa bacana com a temática e fica difícil escolher uma só, mas já que tão pressionando, vou de Namorada de Aluguel. Sensacional clássico do cinema em casa, o filme conta uma história simples dos anos 80, um garoto “nerd” contrata uma das garotas populares para passar um mês fingindo que é sua namorada. A ideia é se tornar popular por associação e tudo parece caminhar bem, mas é claro que no meio dessa brincadeira as coisas viram de lado, e Ronald acaba se seduzindo pelo estilo de vida fútil dos populares e Cindy se apaixonando pelo jeito de Ronald.
O filme é bem engraçado e cheio de boas atuações, com destaque para Patrick Dempsey no papel principal e seu discurso final sensacional sobre união e amizade. Acompanhe até o fim dos créditos, que são embalados pela canção clássica dos Beatles, Can’t Buy Me love, nome original do filme.

E aí, gostaram das nossas indicações? A maioria desses filmes pode ser encontrada com facilidade em lojas, locadoras e serviços de vídeo via streaming, sem contar a grande possibilidade de cruzar com um dos clássicos reprisando pela grade da sua televisão. Esperamos que tenham gostado e desejamos boa volta às aulas a todos!

Trailer do live-action de “Serviço de Entregas de Kiki”

Kiki está chegando às telonas no Japão! A produção dirigida por Takashi Shimizu (mesmo diretor de O Grito, porque o Japão tem dessas coisas, mesmo) começa a ter seus primeiros trailers divulgados, e neles podemos ver Kiki voando por aí, conversando com o gato falante Jiji, e fazendo o que ela sabe de melhor: ser uma gracinha.

Confira abaixo os dois trailers divulgados até agora.

O filme adaptará os dois primeiros livros da série Majo no Takkyūbin, de Eiko Kadono, ou seja, não é adaptação do filme de Hayao Miyazaki.

Kiki (Fuka Koshiba) é uma bruxinha que, ao completar 13 anos de idade, deve passar um ano fora de casa para aprimorar suas técnicas de bruxaria. A história começa quando ela chega a uma cidade litorânea com seu gato Jiji (Minako Kotobuki) e começa a fazer amigos e aprender mais e mais sobre a vida.

O longa-metragem estreia em 1 de março, no Japão. Confira o pôster e tente segurar o inevitável “aaawwwwnnnnn”. Impossível resistir.

Aaawwwnnnn!! *o*
Aaawwwnnnn!! *o*

O Bom Kamen Rider à Casa Torna!

Ainda que no Brasil a Família Rider não viva o seu melhor momento, os japoneses continuam a todo vapor em sua dedicação ao filho nobre de Shotaro Ishinomori. Todos os anos, uma nova série da franquia é produzida.

A nova produção é, via de regra, acompanhada de um especial para televisão, geralmente estrelado por diversos Riders e contando com a participação de outros personagens de tokusatsus variados. No especial deste ano, teremos uma grande surpresa: o retorno do Kamen Rider original.

Em Heisei Rider vs. Showa Rider: Kamen Rider War feat. Super Sentai, o ator Hiroshi Fuioka retorna ao seu papel, gritando henshin uma vez mais para trazer à vida o clássico personagem.

Apesar de ter emprestado sua voz para diversos projetos relacionados à franquia nos últimos anos, o ator não revivia este papel desde 1976, quando interpretou o primeiro Rider no especial Zenin Shūgō! 7-nin no Kamen Rider!!.

Além de Fujioka, o filme ainda contará com mais 29 Riders de diversos momentos históricos, sendo 15 da primeira leva, entre 1962 e 1989, e outros 15 da retomada, começando com Kamen Rider Black em 1989 e vindo até os Rider atuais.

A produção começou a ser rodada em Dezembro e tem estreia marcada para 29 de Março no Japão.

Invasão Nipônica em Hollywood

O aclamado diretor Yoshiyuki Tomino anunciou que sua companhia, Ookaze no Okorusama, está firmando parceria com o estúdio americano Legacy Effects. Por enquanto, os detalhes da colaboração ainda se mantém nebulosos, mas foi indicado que a parceria seria focada na adaptação de mangás e animês para o cinema hollywoodiano.

Tomino é mais conhecido por sua ativa participação na franquia de grande sucesso Mobile Suit Gundam, enquanto que o Legacy Effects foi responsável pelos efeitos especiais de filmes de renome como Jurassic Park, Exterminador do Futuro, Avatar, Círculo de Fogo e Jogos Vorazes.

A parceria abre precedentes para diversas produções, sobretudo quando levamos em conta a predileção do diretor por robôs gigantes e a recente experiência exitosa do estúdio com o filme de Guillermo del Toro.

O estudio americano já trabalhou em produções de robôs gigantes
O estudio americano já trabalhou em produções de robôs gigantes

Esperamos ansioso por mais noticias, que devem chegar em breve, já que uma coletiva de imprensa foi agendada para o próximo dia 21. Fique de olho aqui na Henshin para saber tudo que rola no cinema do Japão e do mundo.

Lupin III, em carne e osso, nos cinemas

O ladrão Lupin III, o eterno e sempre popular clássico criado por Monkey Punch, vai ganhar mais uma adaptação para cinema! Depois do longa-metragem animado, coestrelando o Detetive Conan, agora será um live-action com alto investimento e grande elenco. Confira abaixo.

Shun Oguri, de Capitão Harlock, como o protagonista, Arsene Lupin III
Shun Oguri, de Capitão Harlock, como o protagonista, Arsene Lupin III
Tetsuji Kamayama, de NANA, como o braço-direito e atirador Daisuke Jigen
Tetsuji Kamayama, de NANA, como o braço-direito e atirador Daisuke Jigen
Meisa Kuroki, de Space Battleship Yamato, como a femme fatale Fujiko Mine
Meisa Kuroki, de Space Battleship Yamato, como a femme fatale Fujiko Mine
Gou Asano, de Rurouni Kenshin, como o samurai assassino Goemon Ishikawa
Gou Asano, de Rurouni Kenshin, como o samurai assassino Goemon Ishikawa
Tadanobu Asano, de Thor e 47 Ronins, como o incansável detetive Kouichi Zenigata
Tadanobu Asano, de Thor e 47 Ronins, como o incansável detetive Kouichi Zenigata

O filme já está em produção com filmagens no Japão até dezembro. Em seguida a equipe irá à Tailândia completar as gravações. O investimento no filme é evidente: além de trazer astros da cena japonesa, ainda haverá a participação de artistas de outros mercados asiáticos, como por exemplo, da Tailândia e da Coreia do Sul.

De acordo com a sinopse, será um filme de origem: A história de como o grupo (nesse caso, acho que dá pra chamar de quadrilha, mesmo) se conheceu e se juntou. Resta saber se o tipo de ação de Lupin III, que se aproxima de um “Onze Homens e Um Segredo” um pouco mais maluco, pode ser satisfatoriamente transportado para um filme live-action.

A estreia está marcada para o verão japonês (meio do ano) de 2014. E, com esses filmes japoneses recentemente adicionados ao Netflix brasileiro, é possível que ele aparece aqui no Brasil oficialmente por esse mesmo canal.

Live-Action de Samurai X no Netflix

O serviço de streaming Netflix anunciou via release a chegada de dois títulos muito interessantes ao seu catálogo nacional: Ultraman: The Next e Rurouni Kenshin. Os dois filmes estarão disponíveis a partir de dezembro, respectivamente nos dias 5 e 6. Lembrando que o filme do Kenshin chegou ao Brasil no segundo semestre deste ano, direto para DVD.

Takeru Sato, como Kenshin Himura
Takeru Sato, como Kenshin Himura
Ultraman: The Next
Ultraman: The Next

Em conjunto à entrada destes títulos, o Netflix também trará algumas novelas coreanas como Birdie Buddy, Herança brilhante, Lie to Me (nada a ver com o seriado americano) e Meninos Antes de Flores. O serviço já disponibiliza diversos filmes coreanos em seu catalogo.

Recentemente, o Netlix adicionou outro título relacionado aos mangás da JBC: Saint Seiya The Lost Canvas. Outros animês de sucesso também estão presentes no serviço já há algum tempo, como Death Note, Beyblade e Guyver.

Street Fighter: Assassin’s Fist, em 2014

Há alguns meses noticiamos aqui na Henshin que o seriado de Street Fighter, “Street Fighter: Assassin’s Fist”, estava em produção, sendo financiado via crowd-funding pelo site Kickstarter. Bem, o financiamento coletivo não deu certo. Mas, mesmo assim, o seriado vai acontecer!

Na série, veremos Ryu e Ken aprendendo sobre o passado de seu mestre Gouken, que treinou o Ansatsuken (o “Punho Assassino”) ao lado de seu irmão, Gouki (que você deve conhecer como Akuma). A técnica de luta criada por Goutetsu levou os dois discípulos (e irmãos) a caminhos opostos. Será que Ryu e Ken também enfrentarão o mesmo dilema?

SPOILER
SPOILER

No elenco estão Mike Moh (Ryu), de Kamen Rider: Dragon Knight; Christian Howard (Ken), que também escreve o roteiro; Akira Koieyama (Gouken jovem), de 47 Ronins; Shogen (também Gouken); Togo Igawa (Goutetsu, o mestre original do Ansatsuken), de Memórias de Uma Gueixa e O Último Samurai; e Joey Ansah (Gouki/Akuma), que é criador, diretor e roteirista do live-action.

A série está em pós-produção e já foram liberadas diversas imagens do elenco que mostram um cuidado especial com figurinos e ambientação de época. Confira abaixo.

Goutetsu, o mestre de Gouki e Gouken
Goutetsu, o mestre de Gouki e Gouken
Gouken, mestre de Ryu e Ken
Gouken, mestre de Ryu e Ken
Gouki, o homem que vai se tornar Akuma!
Gouki, o homem que vai se tornar Akuma!

A ideia é lançar o seriado no começo de 2014, via internet. E se o retorno for satisfatório, talvez um longa-metragem também possa sair. Parece promissor!

Mais Garo chegando

Desde 2005, Garo vem conquistando seu lugar no Hall dos Tokusatsus. Já com alguns anos de produção, a série tem muitos fãs, dentro e fora do Japão. Agora, as histórias sombrias do seriado chegaram às telas em um novo formato: animação.

O site oficial do tokusatsu anunciou a produção no último sábado. Por enquanto, a série ainda não tem nome, mas já foi confirmada que a história será inédita. A composição do animê será realizada por Yasuko Kobayashi, mais conhecido por seu trabalho em Jojo’s Bizarre Adventure.

A série original de Garo terminou sua primeira exibição em 2006, com 25 episódios. De lá para cá, a franquia já produziu mais 2 spin-offs e diversos especiais para televisão e home video.

Fique de olho na Henshin para as últimas noticias sobre o mundo do tokusatsu!

Mais Thermæ Romæ nos cinemas

Depois do sucesso do primeiro longa-metragem de Thermæ Romæ nos cinemas, Lucius Modestus está de volta, mais pelado do que nunca! … é, não ficou legal essa.

Confira o trailer:

Reconheceu a música? O drama? O “T2”? Pois é, o trailer do filme é paródia de Exterminador do Futuro 2 (ou Terminator 2, daí o “T2”). Porque, afinal, essas são duas histórias sobre viagens no tempo nas quais o viajante chega pelado na viagem (como é que eu nunca tinha pensado nisso antes?).

O filme estreia no Japão em 26 de abril de 2014.

"Eu estou de volta!" - tagline parodiando "Exterminador 2"
“Eu estou de volta!” – tagline parodiando “Exterminador 2”

Thermae Romae é um mangá em seis edições que fez muito sucesso no Japão, vendeu milhões de cópias e explodiu em vendas na Europa, podendo ser encontrado nas grandes livrarias de lá também

Ele está sendo publicado pela JBC no Brasil em livrarias e lojas especializadas em quadrinhos, e o volume #3 acabou de ser lançado. Confira a ótima promoção da Livraria Saraiva para quem quer comprar os volumes #1 e #2 juntos.

Keanu Reeves Abandona Bebop

Durante muito tempo as especulações a respeito da adaptação cinematográfica de Cowboy Bebop correram soltas. Quase que invariavelmente, um dos nomes sempre atrelados ao suposto projeto era Keanu Reeves.

Em uma entrevista recente ao site americano Reddit, o ator foi questionado sobre o seu papel no filme e sua resposta provavelmente desanimará alguns fãs. Originalmente cotado para estrelar o longa no papel de Spike Spiegel, o ator afirmou que provavelmente não estará na produção:

“Não me parece que Cowboy Bebop acontecerá comigo [na produção]. O roteiro que havia sido produzido era ótimo e impressionante, mas custaria perto de meio bilhão de dólares para ser feito…”, comentou o ator.

Bem, lembrando de Constantine, talvez seja melhor deixar o Keanu longe das adaptações por um tempinho...
Bem, lembrando de Constantine, talvez seja melhor deixar o Keanu longe das adaptações por um tempinho…

Com o custo aproximado apontado pelo astro da Matrix parece um pouco arriscado que algum estúdio decida realizar um investimento tão pesado. Por outro lado, os filmes baseados em quadrinhos americanos vêm aparecendo com grande destaque no verão americano, cada vez com orçamentos maiores e lucros surpreendentes.

A adaptação havia sido anunciada em 2009. Supondo que os direitos ainda pertençam a Twentieth Century Fox, não seria absurdo imaginar uma nova tentativa, já que a produtora vem investindo pesado em suas últimas adaptações de histórias em quadrinhos como Wolverine Imortal e a reformulação do seu universo mutante a partir de X-men – Dias de um Futuro Esquecido.

É claro, a produção não seria inspirada na versão mangá da franquia, mas sim na premiada série animada de Shinichiro Watanabe, realizada em 26 episódios. As notícias do projeto engatinham, mas assim que aparecerem, você confere aqui na Henshin!