Conhecendo o universo dos mangás digitais

No início de dezembro de 2017, a Editora JBC lançou seus primeiros títulos do seu catálogo de mangás japoneses no formato de e-book. A estreia da JBC em formato digital foi feita aos poucos, inicialmente com os quadrinhos nacionais da coleção completa dos Combo Rangers do autor Fábio Yabu os dois volumes do Henshin Mangá, que são antologias do concurso Brazil Manga Awards.

Em seguida, chegaram as obras de autores japoneses como Tsutomu Nihei (Knights of Sidonia, Blame!), Hiro Mashima (Fairy Tail), Nakaba Suzuki (The Seven Deadly Sins), Kazu Inabe e Yu Kuraishi (Fort of Apocalypse), Eiichi Shimizu e Tomohiro Shimoguchi (Ultraman). Eles se tornaram os primeiros mangakás japoneses com publicações digital no Brasil.

E este é um caminho sem volta. Já são mais de 140 volumes de 15 títulos no catálogo de mangás digitais da JBC.

Os livros digitais estão se tornando cada vez mais populares entre os brasileiros pela praticidade e comodidade para compra, leitura e armazenamento. O formato digital é uma ótima alternativa para quem gosta de ler muito e quer economizar espaço nas prateleiras.

De qualquer forma, é sempre bom lembrar que o formato impresso não deixará de existir. A versão digital do mangá é mais uma forma de oferecer aos leitores alternativas de acesso às obras.

Entendendo a produção de um e-book

Antes de mais nada, a publicação digital passa por processos de produção semelhantes ao de um mangá impresso, exceto pela etapa de impressão e distribuição.

Há vários custos embutidos em cada título. Antes de publicá-lo, a editora precisa negociar os direitos de publicação, dar início às traduções e adaptações de texto e arte e depois convertê-los para que possam ser armazenados e chegar às lojas.

Conheça os mangás digitais da Editora JBC, acesse aqui.

Share

Você também pode se interessar por: