Capcom sofre onda de demissões

Não é segredo para ninguém que desde de 2012 o mundo dos games vem passando por uma série de mudanças. A crise econômica dos EUA e do Japão ajudaram a agravar um mercado que não vinha na maior das estabilidades e ainda lutava para se adequar a um novo formato de produção e comércio.

Ao longo deste e do ano passado muitas produtoras passaram por grandes reestruturações e algumas até chegaram à falência. Agora é vez de uma gigante do mercado sentir na pele a crise: a Capcom. Famosa atualmente pelas franquias de Street Fighter e Resident Evil, a produtora conta com outros nomes de sucesso em seu currículo como Megaman e Devil May Cry.

Infelizmente, estes nomes de peso não foram suficientes para impedir que este tempo de vacas magras atingisse a empresa. Com o fracasso de grandes apostas como o Resident Evil 6 e o retorno abaixo do esperado de outro títulos grandes como DMC a casa do Ryu não viu outra saída se não reestruturar suas fileiras e buscar um novo rumo.

As demissões foram anunciadas hoje e, por enquanto, ainda não temos um número exato, ou quais os setores mais afetados. Porém, já foi confirmado que o vice-presidente da Capcom, Christian Svensson, sairá do cargo ao final do dia.

Para muitos, Svensson é a cara dos DLCs e, consequentemente, figura pouco agradável. O número crescente de aquisições via DLC necessárias para aproveitar 100% de um jogo e principalmente a decisão de cobrar para “desbloquear” conteúdos já gravados no disco foram duramente criticados e ajudaram no mal desempenho de jogos como Street Fighter x Tekken.

Ficaremos de olho nas repercussões dos acontecimentos e, assim que surgirem novidades, postaremos tudo aqui na Henshin!

Share

Pedro Catarino

Assistente editorial, redator da Henshin e o cara que anota as suas sugestões na página do Facebook!